O menino não era estranho

O menino não era estranho, e, por um desígnio divino, fora-me destinado trazê-lo ao mundo. Eu, Maria, mãe de primeira viagem, era a escolhida. Agradeci a dádiva por aquele ser que transformaria a minha vida e a de todo o mundo, segundo a profecia. Para uns, era o Messias; para outros, simplesmente mais um. José acolheu-o de braços abertos e aceitou-o como filho, sabendo, no entanto, estar ao serviço de um Deus que, até então, nunca se manifestara.

Questionei-me sobre a justeza deste Deus que se serviria de nós, mas fiquei rendida àquela criatura tão promissora. Carregava consigo o peso de toda a humanidade. Vê-lo ali despido de toda e qualquer mundanidade fez-me pensar que, todos os dias, em algum lugar do mundo, o presépio está vivo, pois cada nascimento é Natal a acontecer e traz consigo a esperança num mundo melhor.

O meu menino não era estranho, mas era diferente!

Picture of Maria Gaio

Maria Gaio

Texto Vencedor
Partilhar
CLUBE DOS WRITERS

Estes são os textos vencedores do desafio de escrita criativa mensal do CLUBE DOS WRITERS

Mais artigos:

Vírgulas. Como Utilizar?

Preencha o formulário e receba grátis este esta ferramenta bastante útil.